segunda-feira, 18 de julho de 2016

A Filha de Jairo – A Mulher que tinha um fluxo de sangue (5.21-43)

A Filha de Jairo – A Mulher que tinha um fluxo de sangue (5.21-43) Depois do episódio da expulsão de demônios em Gadara, Marcos nos apresenta dois fatos, um intercalado no outro, que foram os casos da ressurreição da filha de Jairo e a cura da mulher com um fluxo de sangue. O relato começa com a ida de Jairo, um dos principais da sinagoga, a presença de Jesus pedindo socorro para que ele curasse a sua filha que estava à beira da morte. Quando Jesus ia para a casa dele, acompanhado de uma multidão, uma mulher com uma hemorragia contínua aproximou-se dele e tocou em suas vestes e foi curada. Segundo o seu testemunho, ela dizia em seu coração que assim que tocasse nas vestes de Jesus ficaria curada, o que de fato aconteceu, sendo a sua fé elogiada por Jesus. Na continuação da ida de Jesus para a casa de Jairo, chegou a notícia de que sua filha falecera e que não precisava mais incomodar o Mestre. Ao ouvir isso, Jesus disse a Jairo: “Não temas, crê somente”. Ao chegar naquela casa os pranteadores já estavam em ação, e Jesus perguntou a todos por que estavam alvoroçados e choraram, pois a menina não estava morta e sim dormia, e todos riam dele. O senhor Jesus entrou no quarto da menina acompanhado de Pedro, Tiago e João e dos pais dela e, pegando a mão da menina, ordenou que ela se levantasse (Talita cumi) e assim aconteceu. A ressuscitação da menina deixou os presentes assombrados com grande espanto. Jesus ordenou que eles não divulgassem o fato, e que dessem de comer a menina. Pr. Eudes Lopes Cavalcanti

segunda-feira, 11 de julho de 2016

PREGAÇÃO PASTOR EUDES 03/07/16 AS RAZÕES DO FRACASSO DE SANSÃO

O Endemoninhado Gadareno (5.1-20)

O Endemoninhado Gadareno (5.1-20) No episódio da tempestade no Mar da Galileia acalmada por Jesus, os discípulos estavam indo para a margem oriental onde ficava a região de Decápolis. Ao saírem do barco logo se deparam com um homem possesso de espíritos malignos. A situação daquele homem era caótica. Segundo o texto bíblico ele vivia nos sepulcros, urrando feito bicho, ferindo-se com pedras e ninguém conseguia subjugá-lo, pois o prendiam com grilhões e cadeia, mas ele os despedaçava. O texto nos diz que ao ver Jesus, o homem cai diante dele em adoração. O demônio manifestou-se dizendo: que tenho eu contigo Jesus, Filho do Deus Altíssimo? Jesus pergunta o nome do demônio e ele disse que era legião, porque eram muitos. Os demônios pediram a Jesus que os expulsava, que permitisse que eles entrassem numa manada de porcos que ali pastava. Jesus permitiu e os demônios saíram do homem e entraram nos porcos, que se precipitaram enlouquecidos por uma ribanceira no Mar da Galiléia. Os habitantes de Gadara, amedrontados, pediram a Jesus que saísse dali, mas o gadareno liberto pediu ao Senhor que permitisse O acompanhar, mas Jesus não concordou e sim o comissionou para anunciar aos seus o milagre que Deus fizera em sua vida. O texto sagrado nos diz que o testemunho do gadareno, dado na região de Decápolis, maravilhou a todos. Pr. Eudes Lopes Cavalcanti

Jesus Acalma a Tempestade (4.35-41)

Jesus Acalma a Tempestade (4.35-41) Esse episódio deu-se no Mar da Galiléia, chamado também de Lago de Genesaré ou Mar de Tiberíades. É - nos dito, no texto em apreço, que o Senhor Jesus convidou aos seus apóstolos a passarem para o outro lado do Mar da Galiléia. No trajeto levantou-se um forte temporal de vento que agitou a agua do lago formando ondas que quase levaram o barco a pique. O texto nos diz que Jesus estava dormindo quando as ondas enchiam o barco, e que fora despertado pelos apóstolos que disseram: “... Mestre, não se te dá que pereçamos?”. Continuando o relato, Marcos nos diz que Jesus despertando do sono, repreendeu o vento, e disse ao mar: Cala-te, aquieta-te. E o vento se aquietou e houve grande bonança. (Mc 4.38,39). Na oportunidade, Jesus censurou brandamente os seus discípulos, dizendo: “Por que sois tão tímidos? Ainda não tendes fé”. Diante daquele poderoso milagre sobre a natureza os discípulos temerosos e extasiados exclamaram: “... Mas quem é este que até o vento e o mar lhe obedecem?” Mc 4.41. Nesse episódio podemos observar as duas naturezas do Redentor sendo evidenciadas: A natureza humana é evidenciada no sono que Jesus tivera. A divina, na poderosa ação controlando as forças da natureza quando o vento e o mar se aquietaram por Sua repreensão. Pr. Eudes Lopes Cavalcanti