quarta-feira, 21 de setembro de 2016

O fermento dos fariseus (8.10-21)

O fermento dos fariseus (8.10-21) Depois do relato da segunda multiplicação de pães, o evangelista Marcos registra uma nova travessia do Mar do Galileia feita por Jesus e seus discípulos. Numa daquelas cidades ou aldeias naquela parte da Galiléia, Jesus defrontou-se com os fariseus que o tentavam pedindo que lhes mostrasse um sinal dos céus, talvez um milagre, sem ter uma necessidade específica para ser atendida. Em resposta Jesus negou realizar algum sinal para satisfazer o capricho de um segmento religioso incrédulo e insolente, sem ter uma necessidade premente. Depois Jesus tornou a atravessar o Mar da Galiléia, esquecendo-se os seus discípulos de levarem pão. Em seguida os advertiu para que se guardassem do fermento dos fariseus e de Herodes. Eles sem entender o que o Senhor dizia, conversavam entre si pensando que se tratava do esquecimento por não levarem o suprimento de pães para a jornada. Foi quando Jesus os censurou por terem o coração endurecido e por não acreditarem no seu contínuo poder provedor das necessidades do seu povo. E para reforçar o seu argumento cita as duas multiplicações de pães realizadas e os que sobraram delas para alimentá-los. Desse episódio podemos extrair quão fracos eram eles e incapazes de viver uma vida de total confiança no Senhor mesmo tendo contemplado as maravilhas feitas pelo Senhor Jesus. Hoje, também, nós discípulos do Senhor temos dificuldades de compreender as coisas do reino de Deus se não tivermos o auxílio do Espírito do Senhor. Pr. Eudes Lopes Cavalcanti

Nenhum comentário: