sábado, 4 de junho de 2016

A Blasfêmia dos Escribas (3.20-30)

Reflexões no Evangelho de Marcos A Blasfêmia dos Escribas (3.20-30) Nesse trecho do seu evangelho, Marcos informa que o Senhor Jesus estava numa residência para onde afluiu uma grande multidão. Em seguida o evangelista informa que a família de Jesus, Maria e seus irmãos, ouvindo o que estava acontecendo naquela casa saíram para prendê-lo, porque achava que ele estava fora de si, devido Jesus está expulsando demônios. Em seguida, Marcos relata um comentário feito pelos fariseus que diziam que Jesus expulsava os demônios pela autoridade de Belzebul, o príncipe dos demônios. Isso deu ensejo ao Senhor proferir uma parábola que falava que Satanás não teria nenhum interesse de expulsar os demônios que estão sob o seu controle, pois assim o seu reino estaria dividido e um reino dividido não poderia subsistir. Ainda nessa parábola Jesus deixou bem claro que só quem pode expulsar demônios é quem tem poder para tanto (entrar na casa do valente, dominar o valente e espoliar a sua casa), e isso Ele tinha. Depois, Jesus trata sobre o pecado de blasfêmia contra o Espírito Santo, pecado esse que não se tem perdão. A blasfêmia contra o Espirito é a deliberada decisão de uma pessoa de não dá credito a obra realizada pelo Espírito, ou seja, a resistência de um indivíduo a ação do Espírito que quer levá-lo fé em Cristo. Esse é o único pecado para o qual não há perdão. É o famoso pecado para a morte falado por João (1 Jo 5.16). Pr. Eudes Lopes Cavalcanti

Nenhum comentário: