sexta-feira, 21 de outubro de 2016

CRISTO NA BÍBLIA: Êxodo – O Cordeiro Pascoal

Cristo na Bíblia Êxodo – O Cordeiro Pascoal O livro de êxodo relata no seu início o drama da descendência de Abraão no Egito e a sua libertação através da ação poderosa de Deus. Nesse livro encontramos o relato do nascimento, crescimento e chamada de Moisés para libertar o povo de Deus da escravidão egípcia. A Bíblia diz que Deus feriu o Egito com dez pragas, sendo a última a morte dos primogênitos. Para poupar o seu povo, Deus instruiu Moisés sobre o quê os israelitas deveriam fazer para escapar da destruição quando um anjo passasse sobre o Egito matando os seus primogênitos. A orientação consistia em que cada família separasse um cordeiro de um ano, sem defeito, macho, e o imolasse no crepúsculo da tarde de um determinado dia e passasse o seu sangue nos umbrais da porta das casas. O sinal do sangue nos umbrais das portas era a garantia de que o anjo da destruição não mataria os primogênitos dos israelitas que estivessem abrigados sob a casa marcada pelo sangue. Esse cordeiro que seria morto e cujo sangue seria uma segura proteção para o povo de Deus é um notável tipo de Cristo. Lembremo-nos de que no Novo Testamento nos é dito que João Batista, o precursor de Cristo, ao ver a Jesus que vinha ao seu encontro, disse: “... Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo” Jo 1.29. João repete essa mesma mensagem na presença de dois de seus discípulos (Jo 1.36). Escrevendo aos coríntios, Paulo disse que Jesus é a nossa Páscoa (1 Co 5.7) (A Pascoa era uma festividade israelita que fora instituída como um memorial da libertação dos hebreus da escravidão egípcia). Além do Cordeiro Pascoal em Êxodo, o próprio Moisés representa a Cristo como o libertador do seu povo. Moisés libertou Israel da escravidão do Egito e o conduziu para a terra da promessa. Cristo nos libertou da escravidão do pecado e nos leva para o Céu (Cl 1.13). Ainda em Êxodo temos o maná que alimentou o povo no deserto. Cristo é o pão (maná) vivo que desceu do Céu e que dá vida aos homens. O Tabernáculo com as suas peças (o altar do holocausto, a pia de lavar, o candelabro de ouro, a mesa dos pães da proposição, o altar do incenso, e a arca da aliança) representam a Cristo e a sua obra. Ainda nesse livro, Arão representa a Cristo como sumo sacerdote, como o representante do homem diante de Deus. Jesus como sumo-sacerdote, na cruz intercedeu pelo seu povo e intercede ainda no Céu. Na cruz Ele foi o oficiante e a vítima oferecida a Deus em sacrifício para perdão dos pecados dos homens. Pr. Eudes Lopes Cavalcanti

Nenhum comentário: