quarta-feira, 19 de abril de 2017

OSÉIAS – O MESSIAS PROMETIDO

CRISTO NA BÍBLIA (Pr. Eudes) OSÉIAS – O MESSIAS PROMETIDO Oséias é o primeiro livro dos chamados profetas menores. Os cinco primeiros livros proféticos são chamados profetas maiores (Isaías a Daniel). As designações profetas maiores e profetas menores tem haver com o tamanho dos livros e não com a importância desses profetas. Oséias profetizou no reino de Israel em aproximadamente 715 a.C. Naquela época o povo de Israel já tinha se rendido a idolatria. O profeta Oséias foi ordenado por Deus a se casar com uma mulher de vida fácil, dar-lhe um nome, e o aconchego de um lar. Gomer, a mulher de Oséias, depois de um período de convivência com o seu marido, abandonou-o e voltou à vida de prostituição. Deus ordenou novamente a Oséias a procurar Gomer convidando-a ao convívio do lar, perdoando a sua infidelidade e restaurando os laços matrimoniais. A lição especial desse livro, baseada na vida conjugal dramática de Oséias, era revelar que Deus e Israel tinham um relacionamento conjugal um com o outro. Deus era o marido de Israel e Israel era a esposa de Javé. O abandono de Israel ao seu marido era um adultério espiritual, uma infidelidade de uma esposa para com o seu marido. Quanto a Cristologia, na linguagem do Novo Testamento, a Igreja é considerada a noiva de Cristo e Cristo o noivo da Igreja. Ela está comprometida com Ele. Paulo escrevendo aos efésios faz uma correlação da relação conjugal entre marido e mulher com Cristo e a Igreja (Ef 5.22-32). Quando da segunda vinda de Cristo ocorrerá nos Céus uma festa de casamento entre Cristo e a Igreja. “E disse-me: Escreve: Bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro. E disse-me: Estas são as verdadeiras palavras de Deus” Ap 19.9. Ainda em Apocalipse a esposa do Cordeiro é apresentada em todo o seu fulgor, depois da festa de casamento. E veio um dos sete anjos... e falou comigo, dizendo: Vem, mostrar-te-ei a esposa, a mulher do Cordeiro. E levou-me em espírito a um grande e alto monte e mostrou-me a grande cidade, a santa Jerusalém, que de Deus descia do céu. E tinha a glória de Deus. A sua luz era semelhante a uma pedra preciosíssima, como a pedra de jaspe, como o cristal resplandecente” Ap 21.9-11. Pr. Eudes Lopes Cavalcanti

Nenhum comentário: