sexta-feira, 28 de julho de 2017

CRISTO NA BÍBLIA - MALAQUIAS (MESSIAS PROMETIDO)

CRISTO NA BÍBLIA (Pr. Eudes) MALAQUIAS – O MESSIAS PROMETIDO Malaquias é o último livro profético e o último do Antigo Testamento. Malaquias significa Mensageiro do Senhor. Ele profetizou após a restauração do culto e da reconstrução do templo e da cidade de Jerusalém. Naquela época o problema identificado pelo profeta Malaquias era o comodismo e a prática de uma religião formalista, desprovida de graça e poder. Tudo indica que na época de sua profecia nem Esdras nem Neemias estavam presentes na ocasião. O livro de Esdras termina com um acordo por escrito do povo com Deus comprometendo-se a cumprir todos os mandamentos da lei divina, e que não se misturariam com os povos da terra dando-lhes suas filhas e casando com as filhas deles, e a manutenção da obra do Senhor através dos dízimos e das ofertas. Na época de Malaquias esse acordo fora quebrado e o povo de Deus reteve os seus dízimos, levando os sacerdotes a relaxarem no serviço divino, misturaram-se através do casamento com os povos da terra, bem como o casamento estava sendo solapado com os divórcios. O livro de Malaquias começa assegurando o amor imutável do Senhor pelo seu povo, mas o enfoque principal dele é o juízo divino sobre o pecador, aqueles que não obedeciam à lei de Deus. Quanto a Cristologia, Malaquias enfoca o Messias como o ”grande rei” vindouro ofendido pelas ofertas maculadas oferecidas pelo seu povo, e que julgaria o enganador que se apresentava como honesto, mas na verdade era um avarento (Ml 1.14). Ainda nesse livro, o Messias vindouro era o “mensageiro da aliança” a quem desejavam, mas que viria com julgamento dos perversos que diziam ser o povo de Deus, principalmente dos líderes religiosos que serviam no templo (3.1). Essa profecia remete a primeira vinda do Senhor Jesus para purificar o templo, relato esse encontrado nos evangelhos. Ainda o livro aponta para o Messias vindouro como o Sol da Justiça que traria cura e grande alegria e, ao mesmo, tempo queimando com seu intenso calor os perversos e maus (Ml 4.1). Pr. Eudes Lopes Cavalcanti

Nenhum comentário: