sexta-feira, 28 de julho de 2017

Jesus perante o Sinédrio (Mc 14.53-65)

Reflexões no Evangelho de Marcos Jesus perante o Sinédrio (Mc 14.53-65) O evangelista Marcos, como os outros evangelistas, relata que após a sua prisão, o Senhor foi levado para ser interrogado pelo Sinédrio, a suprema corte israelita composta de 70 membros, presidida pelo Sumo Sacerdote, na época Caifás. Marcos não registrou o que outro evangelista fez que foi que, antes de ser levado para o Sinédrio, Jesus foi interrogado por Anás, sogro de Caifás, que tinha sido sumo sacerdote antes dele. No interrogatório de Jesus no Sinédrio Ele é acusado falsamente por muitos, inclusive um deles dizendo que Jesus iria destruir o templo de Jerusalém e reconstruí-lo em três dias. Marcos nos revela que nenhum desses testemunhos tinha consistência. O sumo sacerdote levantou-se na assembleia e perguntou a Jesus porque Ele não rebatia as acusações feitas, mas Jesus calou-se diante de todos. Em dado momento do julgamento, o sumo sacerdote fez uma pergunta a Jesus que foi o ponto central daquele julgamento: “És tu o Cristo, Filho do Deus Bendito?”. Jesus que tinha consciência de quem realmente era, respondeu com segurança: “Eu o sou, e vereis o Filho do homem assentado à direta do poder de Deus, e vindo sobre as nuvens do céu” Mc 14.62. Essa resposta o condenou a morte porque foi considerada pelo Sinédrio como uma blasfêmia, pois ali estava um homem dizendo que era o Deus Filho. O sumo sacerdote dispensou outras possíveis testemunhas e perguntou ao plenário o que achava da questão, e o plenário unanimemente considerou Jesus culpado de morte. Após essa terrível sentença, o texto sagrado nos diz que os sinedritas começaram a cuspir em Jesus, cobriram-lhe a cabeça e o esbofeteavam, dizendo: Profetiza. Os servidores do Sinédrio aproveitaram a situação para também esbofetear a Jesus. Eudes Lopes Cavalcanti

Nenhum comentário: